CLIQUE NO PLAY E ASSISTA O VIDEO,

ULTIMAS NOTICIAS

ULTIMAS NOTICIAS

Cerca de 20% dos servidores da Prefeitura de Natal ainda não receberam o salário de setembro



Cerca de 20% dos servidores da Prefeitura de Natal ainda não receberam o salário de setembroAté agora, só foram realizados os pagamentos dos funcionários que possuem salários com valores de até R$4 mil líquidos; não há previsão para os demais
Após 17 dias da data final de encerramento legal dos pagamentos referentes ao mês de setembro, cerca de 20% dos servidores do município ainda não receberam seus salários. Até agora, só foram realizados os pagamentos dos funcionários que possuem salários com valores de até R$4 mil líquidos.

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal (Sinsenat), Soraya Godeiro, explicou que a situação vem sendo acompanhada pela justiça desde o primeiro mês de atraso dos pagamentos, em março deste ano. O Sinsenat e outros sindicatos municipais entraram com pedido de liminar para que fosse cumprida a lei que estabelece que o último dia útil do mês é o limite para pagamentos dos salários.
Foi decidido em tribunal que, caso a prefeitura continuasse a atrasar os pagamentos, ela teria que fazer correção monetária e incluir os juros referentes aos dias de atraso. A prefeitura recorreu sobre essa decisão e o Tribunal de Justiça acatou a solicitação da prefeitura, fazendo com que ela pudesse continuar atrasando os pagamentos sem que sofresse nenhuma punição. O processo está neste momento sendo julgado segundo o mérito da ação e os representantes dos sindicatos têm esperanças de que o resultado seja favorável aos trabalhadores.
Para Soraya, esses são apenas aspectos jurídicos da situação de atrasos nos pagamentos e retiradas de direitos dos servidores municipais. “No aspecto da luta, está sendo convocada uma paralisação, agora dia 21 de outubro, unificada com os funcionários municipais e estaduais que estão sofrendo com os atrasos e com ameaças de retiradas de direitos”, disse Soraya em entrevista ao portal Agora RN.
Manoel Egídio, coordenador geral do Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (Sindsaúde-RN), em entrevista ao portal Agora RN, diz que essa situação é insustentável para os trabalhadores que precisam cumprir com suas obrigações e atinge toda a categoria de servidores da saúde. “Muitos trabalhadores não recebem auxílio transporte e tem dificuldade para ir ao trabalho porque precisam custear a locomoção de casa para o trabalho. Além de estarem atrasando suas obrigações de cidadão com água, luz e alimentação”, conta Manoel.

Pesquisar este blog

Arcebispo da Paraíba convoca para Greve Geral

A Greve Geral que deve paralisar o Brasil próxima sexta-feira, 28, ganhou reforço de membros da igreja Católica. Na P...

MAIS VISTAS

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK

INSTAGRAM @namidiadorn