INSTAGRAM @namidiadorn

ULTIMAS NOTICIAS

ULTIMAS NOTICIAS

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

REPERCUTINDO E DANDO O QUE FALAR, JEFERSON ANDRADE E EDWARD ROCHA


Assembleia discute conscientização sobre combate ao câncer de próstata

Crédito da Foto: João Gilberto

Na esteira da discussão sobre o combate ao câncer de próstata, dentro da programação do Novembro Azul, a Assembleia Legislativa promoveu na tarde desta quarta-feira (9) audiência pública para conscientizar sobre o assunto.

O debate foi proposto pelos deputados Fernando Mineiro (PT) e Cristiane Dantas (PCdoB), que estimularam os homens a tomarem contato com o assunto, vencendo a barreira do preconceito.

“É importante que os homens se sensibilizem sobre esse assunto. Apelo para que as mulheres também tenham essa missão com seus companheiros porque ‘Novembro Azul’ precisa ser o ano inteiro”, conclamou Cristiane Dantas.

Para o deputado Fernando Mineiro, o assunto tem ganhado mais destaque nos últimos anos, o que demonstra que os homens estão se conscientizando. “Estamos percebendo esse movimento em direção à conscientização, mas ainda é preciso fazer mais”, enfatizou.

Dois representantes de organizações foram convidados para discorrer sobre o tema. Diretor do Hospital Onofre Lopes, Paulo Medeiros destacou que a cultura que existe sobre a infalibilidade da saúde do homem deve ser superada.

“O ideal é que o homem procure um médico para acompanhar a situação. Veja, esse mito da infalibilidade da saúde do homem. Criou-se a ideia de que a saúde do homem é inviolável, e não é bem assim”, estimulou o médico.

Para o presidente da Rede Masculina de Combate ao Câncer, Alvamar Queiroz, o debate sobre o assunto não deve ser restrito apenas ao mês de novembro. Ele também incentivou os homens a não deixarem
jefersonandradedasilva13.blogspot.com.br
 
 

Polícia conclui em inquérito que Domingos Montagner morreu acidentalmente

A Polícia Civil de Sergipe concluiu nesta terça-feira (8), o inquérito policial que investigava a morte do ator Domingos Montagner em Canindé do São Francisco (SE), no último mês de setembro. 

Segundo o delegado de Canindé, Antônio Francisco de Oliveira Filho, em entrevista dada ao “Jornal Nacional”, da Globo, o ator morreu mesmo por afogamento. A morte foi considerada um fato atípico e classificada como acidente, não tendo ninguém diretamente indiciado. 

O que a Polícia Civil de Sergipe fará é enviar o inquérito para o Ministério Público Federal para que se tenha indiciamento de crimes de responsabilidades, principalmente da prefeitura da cidade, já que o local onde Domingos faleceu - conhecida como Prainha - era perigoso e não tinha qualquer sinalização neste sentido. 

Em setembro, a prefeitura declarou que não tinha instalado os avisos porque a obra foi interditada pelo Ministério Público, que afirmou que o embargo não eximia a responsabilidade do município na morte do ator. 

Domingos Montagner tinha 54 anos e começou a carreira artística no circo, em 1980. Em 1990, ingressou no teatro como palhaço. "Cordel Encantado" (2011), da Globo, foi sua primeira novela. Na televisão fez participações nos seradiso "Força Tarefa", "A Cura" e "Divã", onde interpretou Carlos, o amante da protagonista Mercedes, vivida pela atriz Lília Cabral.

Em 2012, foi o presidente Paulo Ventura na minissérie "O Brado Retumbante". No mesmo ano, fez em "Salve Jorge" o guia turístico Zyah, que se apaixona por Bianca, personagem de Cléo Pires.

Em 2013, viveu o ativista Mundo em "Joia Rara". Em 2014, foi o protagonista de "Sete Vidas", no papel de Miguel, um homem que descobre ter sete filhos, após ser doador de esperma.

Em março deste ano, começou mais um protagonista: era o Santo na novela "Velho Chico", sendo par romântico de Camila Pitanga. Na novela, uma triste coincidência: ele se afogava no Rio, mas voltava à vida.


Fonte: Natelinha

Mossoró: prefeito e secretário devem se abster de pagar diárias a servidores em função de confiança


O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por intermédio da 7ª Promotoria de Justiça da Comarca de Mossoró, recomendou ao prefeito e ao secretário de Administração e Finanças deste município que adotem, de imediato, as providências necessárias para cessar o pagamento das diárias operacionais aos ocupantes dos cargos de comandante da Guarda Civil e secretário de Segurança Pública, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito de Mossoró.

Para emissão do documento, a Promotoria de Justiça levou em consideração o teor dos arts. 15 e 26 da Lei Complementar nº 098/14 e art. 12 da Lei Complementar nº 037/09, em razão dos quais concluiu que os cargos mencionados compõem o quadro funcional da Guarda Civil Municipal, sem que, no entanto, os ocupantes sejam, de fato, guardas-civis, visto que o provimento nestes cargos públicos se dará mediante aprovação em concurso, conforme disciplina o art. 6 da Lei Complementar 037/2009.

O art. 40 da Lei Complementar 098/14 confere a diária operacional somente ao guarda-civil, razão pela qual o secretário de Segurança Pública e o Comandante da Guarda Civil não estão contemplados nos anexos da Lei. Já o art. 19 da Lei nº 8112/90 disciplina que servidores ocupantes do cargo em comissão ou função de confiança submetem-se a regime integral de dedicação ao serviço, podendo, portanto, serem convocados sempre que houver interesse da administração, razão pela qual não deve haver pagamento de diárias operacionais para os ocupantes dos cargos de comandante da Guarda Civil e secretário de Segurança Pública do Município.


A Promotoria de Justiça recomendou, ainda, que prefeito e secretário informem, no prazo de 30 dias a contar do recebimento do documento, as providências adotadas visando ao cumprimento da Recomendação. No mesmo prazo, se for o caso, devem informar as razões pelas quais entendem que devem desatender ao que foi estabelecido.


Prefeitura do Natal paga salário a 83% dos servidores

A Prefeitura do Natal paga nesta quinta-feira (10) uma grande parte da sua folha de pessoal. O pagamento alcança a 83% do total de servidores do Município. A Prefeitura também informa que até o próximo dia 22 concluirá o pagamento de 100% dos servidores ativos, inativos e pensionistas.

No início do mês, a administração municipal iniciou o pagamento do funcionalismo pelos servidores do Magistério, da Urbana, da Arsban (Agência Reguladora de Saneamento Básico de Natal) e dos funcionários ativos da Natalprev, cujas pastas estão enquadradas em condições específicas, como a disposição de receitas próprias.



Árvore de Mirassol será acesa hoje em Natal

A tradicional Árvore de Mirassol, localizada na Zona Sul de Natal, será acesa oficialmente nesta quinta-feira (10), às 18h30. Na cerimônia, estarão presentes o prefeito Carlos Eduardo e o secretário de Serviços Urbanos Antônio Fernandes.
 A noite contará com a apresentação de um coral e a abertura da casa do Papai Noel. Este ano, a cidade também terá outras duas árvores natalinas localizadas na Zona Norte.
A árvore deste ano segue o projeto “Natal em Natal - Cidade da luz”, escolhida através do edital público para Decoração Natalina de 2016. A estrutura tem 112 metros de altura e a decoração contempla a simbologia dos Reis Magos. A casa do Papai Noel ficará aberta às sextas, sábados e domingos das 18h às 22h.
Na Zona Norte, duas outras árvores de 30 metros estão sendo edificadas. Uma no entorno do Ginásio Nélio Dias, já em fase final, e uma outra no Espaço de Lazer Marinho Chagas, no Parque dos Coqueiros.
 
 

Taveira pode surpreender ao anunciar o Secretariado


Nas últimas horas cresceram as informações de que o prefeito eleito Rosano Taveira da Cunha (PRB) pode surpreender ao anunciar o seu secretariado.
Fala-se que a maioria dos atuais secretários não deve permanecer no próximo governo. E os que ficarem ainda serão remanejados.
Algumas secretarias serão extintas. Outras incorporadas. Cargos comissionados serão diminuídos.
Também, as despesas serão drasticamente reduzidas, pois com a crise que aí está obrigará ao futuro prefeito ter muita cautela em abrir novas despesas. Ele herdará logo de cara dívidas da atual gestão, além de graves problemas na saúde e na educação.
Porém, o que se comenta também, é que o anúncio do secretariado só deverá ocorrer depois que o prefeito Rosano Taveira tiver em mãos o quadro real da situação da administração e, assim, poder escolher as peças certas para os lugares certos na condução dos destinos do município.
O prefeito Taveira e o atual prefeito Mauricio Marques definiram em reunião esta semana, que os trabalhos da comissão de transição começam na segunda-feira (16).
trampolimdavitoria.blogspot.com.br
 

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

“O nosso mandato é totalmente operacional voltado realmente pra o povo”: Vereadora Eudiane Macedo

A vereadora Eudiane Macedo participou de entrevista à rádio 87.9 FM Litoral Norte com Jeferson Andrade e Edward Rocha, no dia 19 de outubro.


Edward Rocha, vereadora Eudiane Macedo e Jeferson Andrade
Eudiane Janaina Macedo Silva do partido Solidariedade foi reeleita para um segundo mandato, com 4.922 votos. Coordenadora de marketing, casada e um filho é moradora do bairro Lagoa Azul. Iniciou sua trajetória pública nos movimentos comunitários, fazendo do seu mandato um instrumento em favor da população potiguar.

Em seu primeiro mandato, Eudiane Macedo foi uma das mais atuantes parlamentares, onde já são mais de 400 requerimentos apresentados em plenário. Autora de leis, entre elas a obrigatoriedade do uso de fone de ouvido no transporte público, além da criação da Semana Municipal de Prevenção do Diabetes, Dia Municipal de Conscientização da Violência Contra o Idoso, o Programa Amigo Saúde do Idoso e a Comenda Aluno Nota Dez.

Confira a entrevista na íntegra:

Jeferson Andrade - Quem é Eudiane Macedo?

Eudiane Macedo – Uma pessoa simples, moradora da Zona Norte há 24 anos. Moro no Conjunto Nova Natal, uma pessoa de muitos amigos, uma pessoa que acredita muito em Deus, que luta pelos seus objetivos, que tem muitos sonhos, muita vontade de crescer ainda mais politicamente, fazendo um trabalho correto. Eu digo muito que Eudiane Macedo é transparência, é alegria. Eudiane Macedo trabalha para gerar o bem estar social de todos, não só da nossa comunidade, mas eu falo em geral, porque não sou vereadora só do bairro Lagoa Azul, só da Zona Norte. Eu sou vereadora de Natal.

Jeferson Andrade - Como a senhora avalia esta campanha eleitoral, uma campanha totalmente diferente, onde foi um pleito diferenciado com novas regras e que acabou reconduzindo-a para mais quatro anos na Câmara Municipal de Natal?

Eudiane Macedo – Não foi uma campanha fácil. Nada é fácil. Foi uma campanha muito difícil, até mais difícil pra mim do que a primeira, até porque eu já estava sendo avaliada pelo nosso primeiro mandato. Mas fizemos uma campanha parecida com a campanha de 2012. Claro que foram 45 dias de campanha, mas quem conhece o mandato da vereadora Eudiane Macedo sabe que a gente desde quando fui eleita vereadora a gente usa muito as redes sociais pra divulgar as ações do nosso mandato, divulgar os nossos projetos. E eu fiz uma campanha da mesma maneira que foi feita em 2012, caminhando porta a porta, ouvindo a população, ouvindo o eleitor, que era do meu interesse. Foi uma campanha totalmente diferenciada.

Muitos políticos tinham medo de ir pra rua, medo de colocar a cara à tapa. Eu não. Eu fui, eu ouvi, ouvi xigamentos, tive atenção, porque também a população está desacreditada dos políticos. A verdade é essa.

Então, se eu não fosse pra rua pra ouvir, pra dar atenção que a população necessitava de ouvir pelo menos uma palavra de um político, seria uma campanha diferente de Eudiane. Eu fui, eu caminhei muito dentro das comunidades, prestando conta do nosso mandato e ia anotando também as reivindicações que a população pedia através das nossas caminhadas. Agora, a nossa campanha foi aquela porta a porta mesmo. Até tinha adversários políticos que diziam que eu estava desesperada porque eu estava caminhando todos os dias. Mas não era desespero. Era respeito pela população que queria que a gente fosse caminhar naquela rua.

E vale salientar que eu moro no bairro Lagoa Azul e dentro do meu bairro foram quinze candidatos à vereadores, moradores da comunidade. Isso é bom? É. Por que? Porque a população está participando. Antigamente só quem saía candidato e pensava em sair candidato era quem tinha sobrenome político, era quem tinha nascido em família tradicional da política. E eu mostrei em 2012, a gente já fez diferente em 2012, eu mostrei que uma pessoa comum, que trabalhava dentro de supermercado, que é moradora de comunidade que vem da base poderia sim se lançar candidata à vereadora e chegou à ganhar pra vereadora. Moro no mesmo bairro.

Então isso despertou que outras pessoas também assim comuns como eu pudessem sair candidata à vereadora e à vereador. Então, foram quinze candidatos, moradores de dentro da comunidade, foi uma preocupação? Foi. Mas graças a Deus conseguimos êxito.

Jeferson Andrade - Qual a motivação para concorrer à reeleição?

Eudiane Macedo – Logo quando ganhei pra vereadora em 2012 e assim que eu me sentei na cadeira, no decorrer de um ano de mandato, eu dizia assim: “Eu não quero mais ser candidata à vereadora. Eu vou concluir meus quatro anos de mandato, claro, porque o povo me escolheu, foi o povo que me colocou aqui. Mas eu vou ser vereadora somente do primeiro mandato”.

Porque quando você vê as coisas acontecer, vai criando ânimo. E eu comecei ver as coisas acontecerem. Eu comecei a fazer algo diferente. Comecei a visitar os secretários, ir às Secretarias, e tentando resolver uma coisa, resolver outra, o pleito que a população pedia e quando você consegue resolver, vai se animando, criando gosto. Quando é algo que você vai atrás e não consegue resolver é decepcionante. Mas eu fui tentando resolver.

E assim que fui eleita pra vereadora, em 2013 assumindo, o bairro Lagoa Azul estava sem transporte que fosse pra Zona Sul, e a gente conseguiu uma linha que continua passando no Soledade, só deixou de sair do Terminal do Soledade, mas é a linha 29, que no caso foi o 10 e 29 que foi pra o Nova Natal. Então isso estimulou ainda mais a sair candidata a reeleição. Porque a gente conseguiu executar um trabalho. Mas por que? Tivemos esse diferencial. A gente vai in loco conhecer os problemas das comunidades e a gente vai às Secretarias. Eu marco audiência, pego meus requerimentos, coloco debaixo do braço, requerimentos, ofícios que são lidos na Câmara, e eu vou cobrar do Secretário. O Secretário às vezes cansa de olhar pra minha cara, e eu digo: “Mas enquanto o senhor não fizer isso aqui, que não sou eu que estou pedindo, é a população eu não vou desistir. Então o senhor vai ter que estar olhando pra mim sempre”.

Edward Rocha - Como foi o envolvimento do partido em sua campanha?

Eudiane Macedo – Eu sou do Solidariedade, nosso partido lançou um candidato à Prefeito, que era Kelps. Fez uma campanha diferenciada, que todo mundo viu que era com o celular na mão e o desejo no coração, não trabalhou aquele material que a gente trabalha com a foto do candidato e o número, não trabalhou carro de som, foi uma campanha atípica, algo que nunca foi visto dentro da nossa cidade. O partido da Solidariedade saiu com uma nominata na proporcional, fizemos uma nominata muito boa pra tentarmos eleger quatro ou cinco vereadores, mas infelizmente a gente viu que teve uma quebra de todos os pré-candidatos a vereadores que esperavam ter uma votação e não teve. Então chegamos, entrando na Câmara agora em 2016 com três vereadores eleitos pelo Solidariedade.

Jeferson Andrade - Neste segundo mandato, quais são suas principais bandeiras e qual  vai ser o seu grande desafio na Câmara Municipal?

Eudiane Macedo – Quando me perguntam sobre bandeiras eu falo muito que levanto a bandeira da humanidade, a bandeira do próximo. Em geral, o bem estar social pra todos. porque eu moro em comunidade há 24 anos. Eu sei quais são os anseios de uma população que mora em bairros como o nosso, de comunidade, em relação à transporte, à CEMEI, à unidade de saúde, que é o seguinte: Uma unidade de saúde atende Nova Natal, mas não atende outros loteamentos que são do bairro Lagoa Azul porque está em área descoberta. Eu ouvi muitas reclamações, fazia quase três reuniões todas as noites e ouvi muita reclamação em relação à saúde, à unidade básica de saúde do nosso município. Por exemplo: Conjunto dos Garis, Alto da Torre e Sítio da Serraria, lá não tem uma unidade de saúde. Lá tem um terreno, foi colocado uma placa dizendo que ia ser construído uma unidade de saúde e até agora nada. E as pessoas de lá têm que vir pra o Pajuçara. Você imagina o transtorno que tem. Na Estrada da Redinha, na João Medeiros, do outro lado, ter que vir pra o Pajuçara porque a área é atendida por lá. São áreas descobertas. E também no Potengi.

Nossa prioridade, eu vou conseguir entrar na Comissão de Saúde, que vai ser uma das minhas prioridades porque não tem um atendimento, um médico que atenda nas áreas que estão descobertas no nosso município. É justo uma área que está descoberta a pessoa ter que ir pra Zona Sul pra fazer um exame, se você mora na Zona Norte?

Então eu digo assim: “A minha bandeira é a bandeira de geral bem estar social de todos. A bandeira da humanidade, a bandeira do próximo, de tentar dentro do meu mandato, com o meu perfil tentar ajudar a construir uma sociedade”. É justo uma pessoa ir pra fila de três horas da manhã pra pegar uma ficha? Você está sujeito à ser assaltada. Acontece coisa irregular, pagar uma pessoa pra ficar numa fila. É errado? É. Mas a necessidade as vezes obriga. Infelizmente é dessa maneira que está acontecendo. Nas minhas reuniões foi muito debatido isso. E eu vou trabalhar em cima disso.

Edward Rocha – Com relação ao atendimento ao idoso, a marcação de ficha? O idoso tem que ir marcar a ficha.

Eudiane Macedo – Isso é falta de humanização porque eu acho que o idoso, se tem uma filha(o) que pode tirar uma ficha pra marcar eu acho que o idoso não precisaria ir. Eu não sei se isso acontece em todas as unidades de saúde, estou tomando conhecimento agora. Eu bato muito nessa tecla e relação à atendimento. Não estou aqui generalizando. Quero deixar bem claro que não são todas as pessoas que trabalham em unidades de saúde que tratam mal, mas a gente sabe que tem umas pessoas, que não olham nem pra seu rosto. Isso é falta de carinho, de atenção ao próximo.


A vereadora Eudiane Macedo também respondeu às perguntas do ouvinte, sobre marcação de ficha, fila na madrugada, pouca quantidade de fichas (06) para exames de sangue.

Eudiane Macedo – O nosso mandato é construído através de vocês. Vocês me falam a demanda, a gente vai in loco conhecer o problema.

Jeferson AndradeA senhora foi eleita a parlamentar do ano de 2015 pelo Comitê de Imprensa da Câmara Municipal de Natal. Pretende trabalhar para se manter no cargo de parlamentar do ano deste seu segundo mandato?

Eudiane Macedo – Tivemos a honra de receber o título de parlamentar do ano 2015. Agora no final de ano tem novamente essa eleição pra 2016. Os jornalistas que acompanham o mandato de todos os vereadores, se acharem que mereço, claro que o título vai ser muito bem agraciado, muito bem recebido.

Edward Rocha - Além do Nova Natal quais as comunidades que vai representar neste segundo mandato?

Eudiane Macedo – Essa campanha de 2016 foi totalmente diferenciada pra mim. 2012 eu trabalhei somente dentro do bairro Lagoa Azul. Eu não fiz campanha fora. Foi focada dentro do bairro onde eu moro. 2016 a gente visitou outras comunidades. Fizemos reuniões em outras comunidades, principalmente aqui dentro da Zona Norte, como Jardim Progresso, Nossa Senhora da Apresentação, Sítio da Serraria, Conjunto dos Garis, Alto da Torre, Gramorezinho, Pajuçara, Santa Catarina, Panatis, trabalhamos nossa campanha em todos os bairros dentro de Natal, mas, em especial dentro da Zona Norte.

Já pra Zona Oeste, pra o Planalto, os Guarapes, também conhecer lá. Não é muito diferenciada daqui da Zona Norte não. Felipe Camarão. Eu como não conhecia muito essas outras comunidades. Nas minhas reuniões fui muito sincera; eu dizia: “é a primeira vez que estou vindo aqui”. Em comunidades que ainda não tinha ido, só passava de carro na Zona Oeste. Eu dizia: “É a primeira vez. Então eu quero focar o que é prioridade aqui dentro da comunidade de vocês, porque eu como vereadora eu não consigo fazer tudo. Eu não sou Deus”. Mas eu digo muito: “Eu vou buscar pra tentar melhorar um pouquinho da qualidade de vida daquele cidadão”.

Então nossa prioridade vai ser trabalhar dentro das comunidades que nos abraçaram. Se a comunidade me abraçou eu vou ter que abraçar essas comunidades. Eu não posso ser vereadora só do Nova Natal, do bairro Lagoa Azul. Eu tenho que ser vereadora de outras comunidades também. Eles me abraçaram, então vou abraçar eles também. Eu saí da Zona Norte com quase quatro mil votos e os 922 votos foram nas outras zonas, Sul, Leste e Oeste.
 
Jeferson Andrade - A senhora pretende permanecer morando na Zona Norte, especificamente no Nova Natal após sua vitória com a reeleição?

Eudiane Macedo – Claro. Penso em sair do Nova Natal não. Não vou dar esse gostinho não. (risos). Tem muita gente que diz: “Ela não mora mais em Nova Natal”. Eu moro em Nova Natal há 24 anos, estudei no Paulo Pinheiro, no Miriam, no Elizabeth, constitui minha família dentro do Nova Natal, meu filho estuda em Nova Natal, meus amigos de infância, que cheguei em Nova Natal com 12 anos, também são do Nova Natal. Nova Natal é um bairro muito aconchegante, Os nomes das ruas do Nova Natal já dizem tudo. É um bairro cultural. É um nome folclórico. É gostoso de se morar. Por que sair do meu bairro tão querido? Um bairro que me abraçou e me abraça até hoje.

A minha história, tudo começou dentro do Nova Natal. Nunca fui líder comunitário, nunca fui de Conselho Comunitário. Eu sempre fui aquela pessoa de muitos amigos e de sempre ajudar os amigos da maneira que eu podia.

Edward Rocha – O que fez a senhora entrar no mundo político?

Eudiane Macedo – Eu não sou de família tradicional da política. Eu sou a única política da família. Moradora do Conjunto Nova Natal, eu sentia necessidade de ter uma representante, assim como eu. Eu sentia essa necessidade de estar perto do povo. Eu tive a influência do meu esposo Tárcio Martins. Ele foi candidato à Conselho Comunitário, como vice e ganharam. E eu andando na comunidade, as pessoas diziam: “por que não sai você?”. Eu disse: “Não. Conselho Comunitário eu não quero. Eu quero ir mais além”.  Então mais além eu fui em 2008, não consegui êxito. De 2008 à 2012 fui fazendo um trabalho formiguinha, um trabalho que eu gosto de fazer porque eu sou promotora. Eu era demonstradora, depois fui promotora de vendas e depois fui ser coordenadora de marketing, sempre interagindo com as pessoas, diretamente.


Atendendo à outro ouvinte, Eudiane Macedo falou ainda sobre a polêmica do Uber e também sobre o Loteamento José Sarney.

Eudiane Macedo - O José Sarney foi um loteamento onde fiz várias caminhadas, principalmente nas ruas que não são calçadas e as pessoas pedindo calçamento. Calçamento não depende do vereador. Quem executa é o prefeito, mas se não tiver um vereador dentro da Câmara, olhando para as comunidades, cobrando e colocando na emenda do orçamento que se tenha o calçamento, não só do José Sarney, mas de todos os loteamentos. Então no nosso segundo mandato a gente vai priorizar o projeto de urbanização integrada de todos os loteamentos da Zona Norte.

Edward Rocha – A senhora já viu ou pretende ver alguma coisa com relação à arborização, iluminação?

Eudiane Macedo – No nosso primeiro mandato a gente colocou uma emenda na LOA, que é o orçamento do município, justamente pra colocar uma Alameda na Avenida da Ciranda. E já colocamos no orçamento de 2014, mas infelizmente não foi executado e vai continuar sendo uma luta do nosso mandato.  Depois que fui eleita vereadora, várias ruas do Conjunto Nova Natal e da Zona Norte a gente conseguiu colocar aquelas lâmpadas Led.

Vou me comprometer agora no nosso segundo mandato, se a gente foi atuante no primeiro mandato, em expandir ainda mais dentro de outras comunidades, outros bairros.

O nosso mandato é totalmente operacional voltado realmente pra o povo, tentando dar o melhor de nós. Cada dia eu aprendo. O nosso mandato é feito com a participação de cada população, não de cada eleitor, porque meu mandato não é feito somente pra quem votou nele. Ele é feito pra quem torceu, pra quem não votou. Ele é feito realmente pra os moradores da cidade de Natal.

Quero agradecer os 4.922 votos, que desta vez dobramos a nossa votação, sinal que o nosso trabalho está sendo bem feito. Quero dizer à minha Zona Norte, muito obrigada pelo carinho, que sempre a Zona Norte me acolheu, não por ser moradora, mas eu sempre senti esse acolhimento das pessoas, até nas nossas caminhadas, durante os 45 dias de campanha. 

Sei que tenho muito a aprender. E se tem uma pessoa que gosta de aprender o que é bom, sou eu. Então o nosso mandato vai ser bem parecido com o primeiro, um mandato operacional, perto do povo. 




Bloco finaliza as vendas das últimas unidades do primeiro lote



O sucesso do Burro Elétrico já se apresenta na movimentação das vendas. O primeiro lote de abadas, com preço promocional, está no final e quem quiser garantir o valor mais baixo tem que correr até a sede, no Praia Shopping, de segunda a sábado, das 10h às 22h. O preço promocional é R$ 130. 
O bloco este ano tem o prazer de ter de volta o cantor Capilé, velho parceiro e conhecido da galera, que já puxou o Burro por 15 anos. E pra animar ainda mais, mantendo a tradição de valorizar a prata da casa, a banda potiguar Gota Elétrica se junta ao paraibano para botar pra ferver na avenida.
O Burro Elétrico Carnatal, tem a parceria da Ale Combustíveis, Praia Shopping, JMT, Água Mineral Santa Maria, Uísque Teacher's da Multigiro Distribuidora, Gosto de Pão, Boss Motors, Saint Yves Empresarial, Gelo do Bom, Neutron Segurança Privada, Miranda Computação, Sérgio Santos Multimarcas, Mix Natal, Rádio Cidade, 104 FM, 96 FM e Carnatal.

O Burro sai no dia 1º de dezembro.


Ney Lopes Júnior irá apoiar Raniere Barbosa para presidência da Câmara


Ricardo Júnior/Nominuto.com
 

O vereador eleito de Natal, Ney Lopes Júnior (PSD), disse que irá apoiar o colega Raniere Barbosa (PDT) para a disputa à presidência da Câmara Municipal em 2017. “Acho que o vereador que está mais legitimado para assumir a presidência da Câmara é o vereador Raniere Barbosa”, analisou.


O advogado justificou a escolha devido ao histórico do colega. “Ele já exerceu funções relevantes, presidente de tantas comissões, líder do governo, líder da oposição, secretário da Semsur, uma das principais secretarias do município de Natal”, comentou Ney.



Para Ney Lopes, outro ponto que favorece a candidatura de Raniere foi a grande votação obtida nas eleições municipais. “O vereador mais votado, embora não seja pré-requisito da Casa, mas acho que Raniere preenche todos os requisitos para ser o próximo presidente a partir de 2017”, defendeu.



Até o momento, cogita-se pelo menos quatro nomes para presidir a Casa. Além de Franklin Capistrano (PSB) que tentará continuar na função, os vereadores Raniere Barbosa e Paulinho Freire (SD) também pretendem disputar o comando da Câmara. Já o vereador Ubaldo Fernandes (PMDB) não descartou a possibilidade de concorrer. Fonte: Nominuto.com


Taveira quer dá “choque de gestão” na saúde

O que se fala nos bastidores da política parnamirinense é que o prefeito eleito Rosano Taveira da Cunha (PRB) estaria disposto a dá um “choque de gestão” na área de saúde do município.
Uma fonte bem informada disse ao blog que, em conversa com o prefeito, ouviu dele essa disposição.
Também, nos corredores do Centro Administrativo, é voz corrente que o novo secretário de Saúde seria o médico João Albérico Fernandes, atual diretor da Maternidade do Divino Amor.
A mesma fonte ainda garantiu que a meta do prefeito Rosano Taveira é avaliar a qualidade do gasto do dinheiro com saúde, combater desperdícios e trabalhar com racionalidade, porque, não por acaso, a restrição orçamentária coincide com um aumento da demanda da saúde pública.
Melhorar a gestão exige disposição política de enfrentar as corporações, que resistem à fixação de metas, à cobrança de desempenho e a outras ações indispensáveis. 
trampolimdavitoria.blogspot.com.br